Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

Aqui há tempos, não foi agora, mas hoje é ainda mais nítido. Dantes, a altura da reuniões de avaliação dava-me cabo dos nervos. Era eu a defender o chefe perante os outros índios, era eu a defender os índios perante o chefe, era a esquecer-me que dissesse o que dissesse, quem mandava naquela merda toda havia de nos tramar, fazer um manguito ao prémio que devia ser uma cenoura em frente ao nariz e era mais um castelo em cima duma nuvem (como se as parcas centenas de euros lhes saíssem das carteiras, caraças!), e ainda de baixar administrativamente 2 valores à avaliação que o nosso chefe fazia. A não ser que se fosse família ou amigo de algum administrador, caso em que a notinha se via inflacionada. Ficava desgastada, de orgulho ferido, exausta e sem a mais pequena motivação para entrar no antro (acreditam que o passo desacelerava, involuntariamente, em directa proporção da proximidade da porta?). Agora? Agora tenho violentos ataques de riso no gabinete da chefia (depois de questionar como é possível que tudo seja deturpável sem aviso prévio, mesmo o que está acordado e firmado entre as partes), mas diz que faz bem aos abdominais. A matemática criativa dá cabo de mim e a imaginação de uma aula de matemática com queijinhos aos senhores dos RH (para lhes ensinar sobre intervalos e equitatividade) abriu-me o apetite. Bom, ganhei uma receita de mousse de avelã, não foi uma perda total.