Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

Já foi solitário, quase sempre até. Já chorou sangue e fogo, gritou e cerrou os punhos. Já se viu perdido, sem saber que rumo tomar, no escuro, no mais absoluto desalento. Já foi profundamente feliz, pleno de sol e de vida, já se sentiu amado e julgou existir com o único propósito de servir ao amor de outro alguém. Já se exaltou de contentamento, já se arrepiou de prazeres mil. Nunca se viu empedernido ou incapaz de amar. Já se enganou como um final que acabou de começar. Já se iluminou perante breves frestas de promessas de calor. Já gelou quando chamaram por ele e ele não foi. Já se transcreveu em poemas, no seu êxtase e na tortura. Mas nunca antes tinha sido tão seguramente senhor de si, do seu passado e dum destino que pode até ser incontornável. Nunca antes se expôs tão irreversivelmente: cada fragilidade, cada imodesta presunção. Nunca antes se deu como está hoje disposto a dar-se: integralmente, a nível infra-molecular e supra-espiritual. É teu, se o quiseres.