Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

AntiBlogue

Blogue dum casal real, anti-fashion, anti-fit e anti-top. Detestamos correr, praia no Verão e berros de crianças. Gostamos de viajar, comer, música, livros, vegetar em frente à TV, saldos, limões e sobretudo um do outro.

Foi em Setembro, antes das "férias grandes" que a decisão foi tomada, em conjunto. Antes disso, lemos muito, ouvimos opiniões a favor e contra. 

Precisamos de perder peso, com calma e sem radicalismos, a bem da nossa saúde. Já acreditávamos que somos o que comemos e por isso mesmo já tínhamos banido alguns venenos há bastante tempo, como o açúcar refinado, refrigerantes com gás e com açúcar, e óleos vegetais manhosos. Não faço fritos em casa, nunca fiz, e já tinha comprado uma fritadeira a ar quente como solução para alguns alimentos ficarem mais apelativos sem cair no desenxabido (como rissóis e outros salgados que antes fazia no forno ou no microondas).

Como tenho alguns problemas de saúde que não ajudam em nada a perda de peso, mas que são agravados com o excesso de peso, tomei a palavra da médica especialista que me acompanha como a mais decisiva. Disse-lhe o que planeava fazer, e ela deu-me todo o apoio, incentivou e não mostrou qualquer desconfiança. Ainda bem, porque para eu tomar esta decisão tinha de acreditar que fazia sentido. E cientificamente, fazia para mim todo o sentido, e quanto mais me informava mais sentido fazia, e quanto mais vivo desta forma ainda mais sentido faz, e com evidências empíricas para atestar a fiabilidade desta forma de alimentação - custa-me chamar-lhe dieta, só porque a maior parte das pessoas pensa que dieta é uma coisa com princípio e fim para atingir um objectivo, e não é disso que se trata. O estilo de vida paleo não é algo temporário, é para manter a vida toda. E é tão simples quanto manter presente a ideia de comer apenas "comida de verdade", abolindo açúcares processados e evitando cereais e excesso de hidratos de carbono.

Começámos gradualmente em Outubro (gradualmente porque não concebo a ideia de estragar comida, por isso fomos consumindo as coisas desaconselhadas que já tínhamos em casa, outras demos). Tivémos uns períodos de excepção que não conseguimos contornar, como férias em sítios mais difíceis para seguir uma alimentação paleo e aniversários, mas em cerca de 2 meses de paleo 80% as mudanças são evidentes:

  • perda de peso (eu 6 Kg, ele 10 Kg)
  • aumento notável do nível de energia
  • melhorias enormes em termos de inchaço, retenção de líquidos e flatulência
  • alteração de paladar, maior sensibilidade ao doce
  • regulação do ciclo menstrual
  • carrinhos de compras mais simples, com muito menos embalagens e facturas menores

 

Para saber mais: http://paleoxxi.com/ e https://www.facebook.com/groups/paleodescomplicado/

2 comentários

Comentar post